segunda-feira, 7 de Julho de 2008

Rui Lage

ESPANTO
por Rui Lage


Os pardais dispararam das heras
a coberto da noite
que tacteava na lenha.

Primeiro o rufar das pequenas asas,
um estertor, uma arritmia, depois
as salvas secas
enquanto rodei sobre mim
o tempo de pressentir a sombra
que partiu com eles em busca de longe

(de bosque em bosque
de fonte em fonte
e de prado em prado).

Poema publicado no número 26 da Revista 365 com uma ilustração de Nuno Maçarico.

Rui Lage é tradutor e poeta. Nasceu no Porto, em 1975. O poema que publicamos nesta edição, «Espanto», foi extraído do volume «Berçário», editado pelas Quasi em 2004. A sua mais recente colectânea de poemas chama-se «Revólver» e foi editado também pelas Quasi, em 2006.



Berçário, 2004


Revólver, 2006